CLIQUE NA IMAGEM PARA VIAJAR ATÉ ESTE NOVO ESPAÇO PACANHERRO

domingo, agosto 26, 2007

FATACIL 2007: Novas Aventuras

Por sermos tão levados d’abreca e por não pagarmos bilhete neste grande evento (temos belas cunhas) que é a FATACIL, voltámos á carga, desta vez com menos um elemento (o trabalho não perdoa). Porém, à falta de um marmanjo arranja-se outro e foi o que fizemos. O já conhecido gajo que aparece no videoclip do Fadinho Sevilhano, do lado direito, veio connosco para ajudar á rambóia. Desta vez o caso era mais sério e íamos para lá com uma missão de caridade aos ombros, angariar algum dinheiro para o agrupamento de escuteiro cá da zona (o 1256 do Parchal), e que melhor maneira para tal do que levarmos as nossas guitarras e estendermos um chapéu de palha oferecido pelo stand da Casa das Peles? E foi o que aconteceu. Óbvio que não esperávamos receber mais do que algumas pretas que estivessem a mais nas carteiras dos muitos bimbos que por lá passeavam. E a jornada até nem começou mal: uma familiar de uma amiga da casa deixou perdido no nosso chapéu 1,10€ enquanto tocávamos a música do Variações “Muda de Vida”. Fomos para a barraca dos escuteiros, para ver se a malta, ao reparar que estávamos lá para ajudar, se dignava a contribuir para uma causa nobre, mas nem isso nos ajudou muito. Nessa barraca haviam uns lencinhos em miniatura à venda por 1€ com as respectivas cores que os escuteiros envergam ao pescoço. Aquilo estava a vender tanto quanto nós e foi entretanto que lançámos uma estratégia imparável de marketing: ao som das nossas melódicas canções de igreja, e aliado ao nosso sotaque parchalense inconfundível, publicitar a venda dos tais lencinhos. A letra era a seguinte:

Comprem um lencinho,
Sé diébe máçuado,
Q’aquile tá ali fêto
E ainda vai dar sobrado.


Ah bom, só custa um éró,
Tás armado em garganêro!?
Quês comprar pã-com-chôriço,
Mas os “cutas” tã primêro!


Bem, não sabemos se a letra é das melhores, mas o que é certo é que resultou. Os lenços foram vendendo a bom ritmo e as moedinhas iam caindo também para o nosso chapéu, ao ponto de lá ter caído uma notinha de 5€, ao que se presume por engano, mas que nós tirámos logo e, como bons rapazes que somos, doámos ao corpo escuteiro. Com o amealhar das moedas pretas, fomos os 3 tocadores comprar ao fim da noite 3 Jelly Sticks, uns gelados todos molengos que parecem umas línguas do Homem-Aranha.
AP

8 comentários:

DIARREIAS MENTAIS disse...

Meus Caros (ou baratos pelo resultado da angariação!)

Isso de tocar musica na rua...sem brincadeiras, sabiam que o TIM (xutos) há cerca de um mês esteve um dia inteiro no Rossio a tocar como se fosse um mendigo? O TIM! E não ganhou para o tabaquinho!! E Vocês a entrarem à pala na Fatacil...já é mais fácil de estacionar naquela merda? Eu espetava sempre com o carro no parque empresarial de lagoa!

Agora...entrar à pala...é como em tudo no nosso país! Uma questão de Q.I. (QUEM INDIQUE!)

Pacanherros disse...

Diarreias,

Vá, não são bem cunhas, digamos que os filhos da terra (nós) têm sempre vantagem a jogar em casa. Nós somos daqui, é claro que não podemos nem devemos pagar o mesmo que pagam os alfacinhas, os bimbos e os bifes que vêm propositadamente para a FATACIL gastar dinheiro.
Sim, já tinhamos ouvido falar dessa histíria do Tim, que enfim resume aquilo que somos: grandes artistas ainda incónginos. Não sei se tens conhecimento, mas este episódio nosso sucedeu no dia em que foram lá actuar os Xutos (6ª feira passada) pelo que a nossa criatividade de letristas veio ao de cima e sempre com a mesma melodia criávamos quadras que quase ofendiam todos aqueles que não punham moedas no chapéu. É a vida...
Cumprimentos.

Francis disse...

para o ano que vem ainda vos convidam para um palco secundário....

DIARREIAS MENTAIS disse...

chegou a hora de contar um segredo! Este alfacinha tem ainda cheiro a sardinha assada a correr nas entranhas! Isto porque 10 anos da minha vida foram curtidos (E MT BEM CORTIDOS) entre Portimão e Ferragudo! Não pá...não foi no meio do Arade...foram uns anos em portimao outros em ferragudo!! Grande abraço e viva o 123!

BeHappy disse...

Ah ah! Adorei a letra! Assim também eu comprava, de certeza!! :P

bekas disse...

Não importa a letra da canção.
Digamos que fizeram a vossa boa acção. Assim como manda a lei do escutismo.
Essa de entrar à pala... hum... tenho que arranjar para aí umas cunhas como as vossas, já que de vez em quando vou a essa zona.

carótida disse...

Ê cá comprava um lencinho
com todo prazer e carinho
mas com a condição de no fim
ter também direito ao geladinho!

Pacanherros disse...

Francisco:

Por acaso até têm lá um palque secundáre, onde vão actuar grupos regionais. Este ano, o melhor concerto foi o do GRUPO DE CANTARES DO PARCHAL, onde o single "Fado das Tabernas do Parchal" foi um sucesso, cantado pelo Zé Pescador, aqui da zona. Já faltou mais para irmos lá nós...

Cocó ralo Mental:

Qués ver outro segredo? Um dos nossos membros, o gajo cabeludo, nasceu na terra das alfaces e dos manjericos, em São Sebastião da Pedrêra. Bem, o que interessa é que ele mora cá e tem um sotaque tã algarvio que a gente nem nota que tá a falar com um bimbe (porque de Santiago do Cacém pra cima é tudo Norte). Sendo assim, ainda bem que curtiste cá em baixo, mas não é nada de home um gá cagar-se nisto aqui e ir morar pra Lesboa.

BiÉpi:

Claro, a letra foi criada pelos Arranhí Pacanherra, os maiores letristas desta rua!! E ainda bem que compravas, os cutas agradeciam!!

Bêcas:

A letra interessa sim: foi graças a ela (por tão insuportavel de ouvir que é) que foi o sucesso que foi!! E isso de entrar à pala é só pra V.I.P. membérs: pra já, quem é escuteiro não paga entrada, depois, as cunhas que nós falamos chamam-se "descontos para os Serviços Sociais de Lagoa", só mesmo pra malta de cá...

Caróiteda:

Claro que tinhas direito a um geladinho Jelly Stick!! Era só vires para a barraca cantar com a gente a nossa musiquinha e angariares 50 sétimos, que é o preço que eles custam... porque a gente nao faz milagres. Mas só o comvive valia qualquer nhêro do mundo!

Cumprimentos malta toda da strit e do plêce!!!