CLIQUE NA IMAGEM PARA VIAJAR ATÉ ESTE NOVO ESPAÇO PACANHERRO

sábado, novembro 03, 2007

Alarve, o desconhecido deus grego do Algarve

Entrei este ano para a faculdade. Uma das cadeiras que me fascinou desde o início foi a de Matrizes Culturais e Europeias. Nessa disciplina, a professora ensina-nos coisas, coisas que são a razão para as coisas que fazemos ou dizemos hoje. Ao estudarmos toda a mitologia grega (as tais histórias do Zeus e dos seus amigos), pus-me a investigar mais a fundo sobre todos os deuses que por cá “andaram”. Qual não foi o meu espanto (espanto esse que partilhei logo com os meus companheiros de Arranhanço Pacanhérrico) quando descobri que também existiu um deus responsável pelo Algarve. Sabe-se que havia deuses para todo o tipo de coisas: Posídon era o deus dos mares, Eros era o deus do amor, por aí fora, até chegar ao Alarve que era deus do Algarve (agora sim, fica explicada a proveniência da palavra Algarve).
Alarve não era bem um deus, era um semi-deus – tal como Hércules, que é filho de um deus (Zeus) com uma humana (Alcmena). Alarve era apenas primo de uma enteada de um deus. Dos mitos que se contam sobre Alarve, o mais conhecido é este: Alarve era bastante guloso e garganêro (que quer dizer precisamente Alarve em algarvio) e, uma vez, subiu ao Olimpo (monte onde estavam os principais deuses) para provar do divino banquete que era servido todos os dias à uma da tarde. Sem ninguém por perto, Alarve estica a sua mão direita para apanhar uma suculenta coxa de peru. Zeus, que chegara da pesca do polvo nas rochas da praia dos Caneiros, lançou-lhe um eterno feitiço e o seu braço direito transformou-se num tentáculo de polvo. A indumentária deste deus ainda hoje influencia as gentes do Algarve. Os próprios ingleses, quando vêm de férias para este local, têm sempre o cuidado de calçar meias brancas dentro de chinelos. Ao contrário de todos os outros deuses, este aparece em todas as gravuras e referências (tal como neste quadro pintado por Leonardo da Vinci a tinta da china azul clara) vestido com uns calções e uma T-shirt do Portimonense. Os calções, segundo o mito, são porque Alarvo, sempre que via uma mortal fêmea das zonas da Europa do Norte, ficava com seu pénis desmesuradamente erecto. A T-shirt, diz-se, era porque Alarve seria um fanático torcedor deste clube, o clube que ganhava sempre porque era o único clube de futebol que existia no século V a.C. Ao que consta, Alarve não gostava muito de assistir às Olimpíadas gregas devido à falta de emoção e contacto físico. Tal como Posídon possui um tridente, Alarve possui um abanico, instrumento por ele inventado para atear melhor os sagrados fogos que assavam as sagradas sardinhas através do sagrado ventinho. Devido ao mito de Alarve, ainda hoje é tradição, em todos os jogos que o Portimonense joga em casa, comer-se pernas de polvo assadas antes de se entrar para o estádio, diz-se que traz sorte.
Assim, Alarve, um deus até à data incompreensivelmente desconhecido, apresenta-se como o deus do Algarve (devido a habitar desde sempre neste local), deus das sardinhas assadas e em geral do peixe assado, deus dos fogareiros, deus do Portimonense e do futebol regional, deus dos engatatões azeitolas como o Zézé Camarinha, deus das acendalhas e deus do cheiro a pexum.

Arranhí Ascostasefiqueicomgarronasunhas

9 comentários:

Xantipa disse...

Excelente! Eu bem sabia que devia ser essa a origem do nome!
:)
Continuem as vossas profundas investigações!

Anónimo disse...

WOW Gracias! du strip-tease chic !!!

Tita disse...

marafado? mas nao era marafáde? ja nao percebo nadinha...

Erika Martins disse...

Ahahahahah! Caloirinho com que então é isto que andas a fazer nas aulas?
Muito bem! Muito bem!
DOu-te um 19 (porque nunca se dá 20s a ninguém!) em pesquisa profunda e fundamentada! Gostê muit!!
O desenho tá espéctaculo!
Ohh meninos!!! Festa de Dietética quarta (3ºano) e quinta (2ºano) toca a aparecer! Senão eu falo com o Alarve e ele dá-vos um açoite com o tentáculo de polvo, quem vocês dão 3 voltas ás cuecas e depois nem se alembram mais quem são!!
Beijinhos!

Erika Martins disse...

Ah! esqueci de dizer! Deves ser o orgulho da professora! clap!clap!clap!

Pacanherros disse...

Xantipa - Brigade stora!

Anonimo - Vai dar banhe ao cao!

Tita - E clare qu]e MARAFADE!, mas ha certos alfacinhas e bimbos que na precebem este idioma, pelo que nao podemos ser egoistas, temos de traduzir grande parte das coisas.

|merda pra este teclado da universidade que tem os botoes todos trocados e nao da pra por a porra dum acento!)

Erika - Brigades pelo 19! Nao e merecido, mas hoje em dia e facil corromper professores universitarios |ai se a stora le isto...|
Em relacao a festa, nao devo poder ir. Nem poder nem apetecer. Facam mas e as festas nas gambelas peu ca na gastar dnhere!
Nao, nao sou o orgulho da professora... ainda.

Cumprimentos a todos!

Pacanherros disse...

Erika - E em meu nome (Arranhí Semquereracrostadamalçuadaferida) também não poderei ir a essa festa com muita pena minha! Já agora tentavam era fazer as festas também em Portimão, porque acho que estes moces já mereciam! E se fosse de Dietética melhor ainda :P

Xantipa disse...

Fiquem descansados que a professora não percebe nada de blogues nem sabe lá o que é isso! E não sou eu que lhe vou dizer.
Quanto à facilidade de corrupção, é só preciso ter técnica! Deixo aqui umas dicas para se ser o menino bonito: estudar, ler, fazer os TPC, oferecer-se para ir ao quadro resolver os problemas de matemática e, claro, deixar anonimamente uma maçã na mesa da professora, corando quando ela perguntar quem foi, mas sem nunca se identificar.
:)

Pacanherros disse...

Terei isso em conta... sssshh, mas sem que ninguém saiba.