CLIQUE NA IMAGEM PARA VIAJAR ATÉ ESTE NOVO ESPAÇO PACANHERRO

sexta-feira, dezembro 28, 2007

Arranhí Pacanherra, a Resposta a Todas as Perguntas – Parte 5

Bem-vindos a mais uma parte da nossa rubrica onde respondemos a todas as questões que as pessoas têm quando visitam o nosso blog. É por não deixar essas pessoas sem resposta que nós existimos. E como esta é a última edição deste ano, decidimos esmerarmo-nos (mais ainda) nas respostas, e desta vez perdemos a cabeça e vamos responder assim, não a 4, não a 5, não a 7 nem a 8 nem a 9, mas sim a 6, caros amigos, 6 respostas!! Cá vai marisco (e pra quem for alérgico, cá vai paté de sardinha):

Os tais, segundo o Dicionário Enciclopédico Verbo, são uns pronomes, que podem significar: os estes; os esses; os issos; os aquilos e também os aqueles; Se o objectivo da procura era encontrar o plural da palavra tale, que significa um caule ou um pecíolo duma planta, fique sabendo que se escreve e pronuncia tales. Os Tais pode referir-se também a um grupo de gajedo brasileiro, que organizou um gangue mafioso e que é constituído por Taís Araújo, actriz, Taís Reganelli, tocadora de pífaro enviusado, e Taís Julião, que pelo que parece é enxadrista. Um enxadrista é uma pessoa que estuda o xadrez. Ou seja, anda a tirar apontamentos sobre presidiários e a escrever monografias sobre xelindrós, para quem não sabe.
Os tais pode também ser uma referência a uma família da Mexoêra Pequena, que ninguém trata pelo nome, porque eles são temíveis, mete medo, e se uma pessoa leva uma unhada dum gajo daqueles pode lhe cair um membro ou ficar com comichão.

Todos vocês estão habituados a falar do Algarve conhecido, aquele Algarve cheio de praias de águas quentes, aquele Algarve onde habitam 4 rapazes invejados por todas as mulheres do mundo. Mas o que não sabem é que existe um outro Algarve para além deste: um Algarve onde muito poucos lá foram. Nós tivemos esse privilégio: no outro dia, quando íamos para a apanha do marmelo, deparámo-nos com um alçapão à beira da estrada, uma estrada ali prós lados de Alcantarilha. Armados em aventureiros, entrámos. Descemos umas escadas todas sujas e cheias de cocó de rato, até chegarmos a um elevador todo luxuoso com vista para a praia de Boliqueime. Ao sairmos do elevador vieram umas moças (podres de tão boas) receber-nos e levaram-nos para o seu mundo, o Evragla (que é Algarve, mas ao contrário). Neste sub-mundo tudo era ao contrário: estendia-se a toalha no oceano e íamos ao banho na areia; fazíamos sexo com as raparigas antes de as conhecer-mos; comia-se o gelado antes dos carapaus alimados; e falávamos em português com os estrangeiros, dando-os sempre as indicações erradas. Ao terminar do dia fomos às discotecas e os porteiros eram magricelas e porreiros e a música até nem era má. Incrível, nunca iremos esquecer este bendito Evragla, o Algarve desconhecido.


O senhor poderá ter perguntado uma destas 2 coisas: “como se é um atirador profissional” ou “Come-se um atirador profissional”. Quanto à primeira, temos de ter o cuidado de saber o que raio queremos nós atirar, pois podem ser martelos para o meio da estrada (como faz um homem que já demos a conhecer aqui), podem ser paus aos gatos, como o rapazito da canção fazia, pode ser qualquer objecto, como tal, o conselho Arranhí Pacanherra para quem quiser ser um atirador de algo profissional é que escolham um objecto da vossa predilecção e o atirem para o mais longe que puderem. Há uns atiradores mais fraquinhos que usam instrumentos para serem melhores (ou usam pistolas para atirar balas, ou usam fisgas para atirar pedras), mas isso não dá valor nem dignidade a ninguém: não há como atirar o objecto com as nossas próprias mãos!
Quanto à segunda opção, caro amigo, se é canibal quer comer um atirador profissional, a sugestão do chefe AP é: tempere o homem com muito azeite, sal, alho, vinho branco, vinagre e umas folhinhas de louro. Deixe a marinar no frigorífico 24 horas. No dia seguinte ponha o homem numa travessa, com umas batatas descascadas, uns legumes e leve ao forno a 180ºC. Tenha o cuidado de ir sempre voltando o rapaz para tostar de todos os lados. Bom apetite!

No Algarve existem 3 tipos de macho: nós os 4, o Zézé Camarinha e o animal marido da mula, também conhecido por burro, mas mais burro que os burros. Assim sendo, porque o nosso diário não tem grande assunto e porque o do Zézé Camarinha até já está em livro, vamos aqui publicar um dia na vida de um macho, do diário que encontrámos do Passarinho (o nome do macho) no seu estábulo:

17-10-07
Querido diário, já tou farto de comer sempre a mesma palha, de carregar sempre o mesmo dono no lombo e de ir sempre pró mesmo sítio alombar com os estrangeiros dum cabrão armados sempre em galifões. A serra de Monchique é bonita, mas deve haver mais coisas pra ver. Dizem que lá em baixo, em Portimão, há belas mulas e jumentas pra um macho se entreter. Diz também que há bifas jeitosas, inglesas e alemonas, magrinhas, muito mais leves que este gordo pra transportar. Por causa deste gordo, acordo sempre todas as manhãs com a perna traseira direita dormente. Se não fosse a tia Alzira a me botar banha de cobra nas coxas eu não sei como aguentava.

Sobre mitologia nepalesa pouco se publicou até aos dias de hoje. O mais conhecido contador de histórias sobre o Nepal foi o velho sábio Micuong Parezsho que viveu até meados do século XIX e ganhava a vida como sapateiro. Por vezes punha-se com o estaminé perto das escolas e, quando as crianças saíam à tarde da escola, ele atava-lhes os cordões dos chinelos rotos enquanto lhes contava as mais velhas lendas sobre mitologia nepalesa. Das poucas histórias que resistiu ao tempo foi a do dragão Shah Dev, um dragão vermelho que habitava as longínquas montanhas do Nepal. Conta a lenda que um dia um homem chamado Alfredo, nepalês de gema, envergando umas calças azuis presas por suspensórios e a bandeira do Nepal, subiu às montanhas para desafiar o poder do dragão. Quando lá chegou, Alfredo nem quis acreditar: o dragão vivia com a sua mulher Dragona e o seu filho Dragonball (do qual mais tarde se fez uma série infantil). Era uma família muito pacata e acolhedora, apesar da má fama que os rodeava. Alfredo entrou na gruta e logo foi recebido para jantar com eles uma bela cabidela. Alfredo, em sinal do seu apreço e gratidão, rasgou a bandeira nepalesa ao meio para ofertar ao dragão, mas uma vez que a bandeira era feita de nylon, ficou toda mal rasgada tendo a forma que hoje se conhece.


O motivo da pesquisa desta pessoa leva-nos àquilo que é denominado no unagràunde musical como músida para tótós. Música que fale sobre computadores e placas gráficas e robôs e códigos binários e diébes a quatro, porque uma pessoa que seja tótó, na consege perceber músicas que falem de amores de adolescente, ou até sobre jogar à bola e partir um ortelho, porque enquanto deviam estar fazendo esse tipo de actividades, esses jovens estiveram jogando computador fechados no quarto. É difícil arranjar um cantor rotulado apenas como “cantor que canta sobre tecnologia”, mas segue uma lista das 5 melhores canções de sempre sobre tecnologia.

  1. Pocket Calculator – Kraftwerk
  2. Bill Gates Must Die – John Vanderslice
  3. I Have the Password to Your Shell Account – Barcelona
  4. Social Engineering – Barcelona
  5. Mr. Roboto – Styx


Já que são tótós dos computadores, devem de saber como é que sacam isto tudo da net. Segue também um pequeno excerto de uma letra da música “Bill Gates Must Die”:

Teeny tiny little teens keep pouring out of my machine
Adolescentinhos pecaninos jovens continuam a pôr fora da minha máquina

Backdoors passwords galore
Dores nas costas com passwords em galochas

Only the hackers
Olha os ácaros

Only the feds
Olha os fedorentos

Know just how far out i've been
Nós justos e feijões em faro

So for bringing me here.
Só 4 trazendo meio euro.


E assim termina mais uma edição da nossa mais requerida rubrica. Sabem que para o ano há mais e sabem também que basta perguntarem que nós estaremos cá para respondermos.

9 comentários:

Sorrisos em Alta disse...

Muito bom! Esmeraram-se mesmo!
(E não a esmerara não é aquela miúda que anda a ser dividida entre 4 pais)

Xantipa disse...

Continuem com as vossas fantásticas investigações!
Bom Ano Novo!

Francis disse...

vocemessês serem grandes malucos os tais algarvios profissionais machos nepaleses e sabem munto munto de tecnologia pá...

um grande 2008.

Rita Rente disse...

FAQ's.

André Gonçalves disse...

Então e o "Technologic" dos Daft Punk? Falta esse!

Gi disse...

Parabéns pelo blog, que é do mais divertido que tenho lido recentemente.

Gostei particularmente (mas não só!) do video e transcrição sobre as nuves :-)

Bazil disse...

Antes de mais, um excelente 2008.

Eeeeeeeeepá, vocês têm realmente uma grande capacidade de investigação, gostava de saber como o fazem xD.

Continuem assim, que isto tá muito bom.

Taís Julião disse...

A melhor definição de enxadrista que eu já ouvi!

ass: a própria, supracitada!

siusi disse...

Q RAROS, UMA LINGUA PROPRIA, E AS TRADUÇOES, UM PRIMOR.....NE, Q TUDO É RELATIVO MESMO, AFORA A VERDADE ABSOLUTA