CLIQUE NA IMAGEM PARA VIAJAR ATÉ ESTE NOVO ESPAÇO PACANHERRO

segunda-feira, agosto 13, 2007

Arranhí Pacanherra: A Resposta a todos os Problemas

É já sabido que temos muitas vezes propriedades terapêuticas, mas hoje iremos para além disso, respondendo a todas as questões que as pessoas procuram saber quando visitam este espaço. Instalámos uma espécie de pugrama que serve para sabermos com que palavras, muitas vezes de desespero, as pessoas vêm ter ao nosso blog, e é aqui e agora que vamos responder a todas essas questões, para alivio de muitos e para regozijo de outros.




Esta pessoa procura hi5's de pitas. E nota-se que procura desesperadamente, uma vez que procurou por volta das 23:50h, e todos sabemos o que é que se costuma fazer frente ao computador por volta da meia noite enquanto se vê hi5's de pitas. Aqui deixamos os links de algumas, para deleite deste jovem, ou não:



É incontestável o amor desta gente por pitas, têm uma vontade enorme de as comer, inclusive em pão, acompanhado por um misto de carnes israelitas e outros tantos temperos. Aqui fica uma boa receita de pão de pita, para que esta senhora possa fazer uma bela shoarma para o seu marido comer enquanto vê a bola:

Ingredientes: 280g de água morna 30g de fermento biológico 450g de farinha de trigo 1 colher (chá) de sal 1 colher (chá) de açúcar 1 colher (sopa) de azeite.
Preparação: Dissolva o fermento na água morna e acrescente 100 g de farinha. Deixe o fermento desenvolver por 20 minutos. Peneire a farinha restante, o sal e o açúcar. Junte todos os ingredientes e sove até formar uma massa lisa e macia. Coloque em uma vasilha para crescer. Depois que dobrar o volume amasse e sove novamente. Divida em 30 pedaços e boleie (forme bolas lisas da massa). Deixe crescer novamente, abra a massa em discos achatados bem finos (1mm de espessura), passe em farinha de trigo. Asse em forno pré aquecido a 280 ºC (muito quente) ou sobre uma chapa de ferro grossa também muito quente. Deve demorar menos de 1 minuto para assar.




Esta é fácil. Fomos ao dicionário, e lá diz o seguinte: "Descrição, s. f. acto ou efeito de descrever; exposição exacta, oral ou escrita, de um facto, lugar ou paisagem." Respondido.




Não sabemos o que é que esta pessoa pretende ao certo com e
sta pesquisa, mas estamos igualmente solidários. Porque também gostamos de limpar o rabo com papel higiénico suave, deixamos aqui algumas dicas, não da utilização íntima deste produto, mas de um pouco da sua história (retrado da Wikipédia brasileira):

Papel higiénico é um tipo de papel fino utilizado na limpeza íntima após a evacuação que pode ser perfumado ou não. É comum vir em rolos, mas também é encontrado em pacotinhos hoje em dia. É vendido normalmente em mercados, supermercados, drogarias e lojas de conveniências.
Antes de sua invenção, que data do século XIX, as pessoas costumavam fazer a sua limpeza com folhas de alface, água e por vezes sabugos de milho. Diz-se que o papel higiénico foi inventado na China em 875, mas a invenção também é atribuída a Joseph Gayetty, de Nova Iorque, EUA, que a teria concebido em 1857. A cidade de Green Bay, em Wisconsin, EUA, é a "Capital mundial do papel higiênico".




Não são conhecidos muitos venenos para moscas caseiros. Nós cá no algarve usamos sacos de plástico cheios de água e pendurados à entrada das nossas casas. No entanto veneno veneno, daquele líquido, não conhecemos. Mas nós não deixamos os nossos visitantes no desespero, e por isso, fomos à pesquisa e encontrámos uma mezinha brasileira: Compre essência de eucalipto, daquelas usadas em saunas, molhe um pedaço de algodão prenda na frente duma ventoinha e vá mudando de lugar. Ou ponha dentro de água a ferver e deixe o vapor espalhar pela casa fora. Não sabemos se resulta ou não, e como não temos moscas cá em casa, esse não é um dos aspectos que nos preocupe muito.



Amigo, se o amigo quer comprar um apartamento daqui a 5 anos, tem de proceder aos seguintes passos.
  1. Esperar que passem 4 anos e meio;
  2. Escolher o imóvel que prentende comprar;
  3. Se tiver dinheiro suficiente na sua conta bancária para a compra directa do imóvel, compre o imóvel;
  4. Caso seja teso como o comum dos portugueses, escolha o banco que o irá financear;
  5. Escolha também um fiador, uma pessoa rica que não se importe de pagar a casa caso você não tenha dinheiro para o pagamento das prestações;
  6. Proceda ao emprestimo da casa, pague ao construtor e instale-se confortavelmente nela.



Como não sabemos ler palavras estrangeiras, pedimos a um especialista da área que lesse para nós.
Meu senhor, é fácil: cá no algarve a gente diz que tá free quando a temperatura é muito baixa, o que acontece nos meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro. Normalmente é ouvida neste contexto: "Uii, que free que tá hoje mã!!" Free também pode ter vários sinónimos, como "cacimba", "briol", "gelo" e "tarasca".




Eah, o Professor Bamboo é um charlatão e um burlão, não se metam nisso. Agora há um professor bem melhor e mais competente: o Professor Pacanherra.




Bem, do Tony Carreira em Portimão não encontrámos muito, mas encontrámos um igualmente grandioso filme de uma senhora de Aljezur a cantar e a tocar os Sonhos de Menino. Não é o mesmo, mas também serve. Em comum, a canção e os tics femininos.
Sonhos de Menino - Um grande clip




Sim, também achamos que é uma grande lacuna da televisão portuguesa, principalmente dos canais de documentários. Queremos ver mais documentários sobre gafanhotos, e porque não também, sobre cigarras e bezoiros, que são bichos também muito bonitos. Mas hoje falamos de gafanhotos, que por fezes também chamamos de "faganhotos", e encontrámos para o ciêntista que pesquisou e que veio parar ao nosso blog este belo mini documentário sobre gafanhotos.




Ui, nessa matéria somos especialistas: lendas tailandesas, tal como as massagens, conhecemos quase todas.
Aqui fica a mais antiga lenda tailandesa que conehcemos:
Era uma vez, no antigo sião, um elefante chamado belmiro, que não gostava de comer mangas, porque comia sempe manga a todas as refeições. Não suportando esta situação, fugiu para a floresta, onde se alimentava de bagas e terra. Foi ficando cada vez mais fraquinho, até que um dia, ao desfalecer lhe apareceu em sonho uma açucena, vestida num trapo laranja, e a ler o ramakien, que lhe disse que voltasse para casa, respeitasse sempre os pais, e por ser tão egoista, não pensar que havia quem quisese comer manga e não tivese, havia de carregar com esses mariconsos dos kathoey pró resto da vida...

Aqui termina este post, e já sabem, sempre que quiserem exclarecimentos ou resoluções para os vossos mais difíceis problemas, não hesitem em procurar-nos.
AP

4 comentários:

aorta disse...

O vosso sotaque algarvio dá-me cabo do canastro!!! Levo 3 quinze dias para ler tudo até ao fim, caneco!

BeHappy disse...

Ah ah ah! Que fartote de rir!!

Francis disse...

brilhante.

alguém+ neste mar de gente disse...

LOLOLOL vocês são demais... tá free! e isso é que é falar em pitas hein? 'hádem' inventar um pão pita pacanherra! ou pita arranhí...