CLIQUE NA IMAGEM PARA VIAJAR ATÉ ESTE NOVO ESPAÇO PACANHERRO

terça-feira, dezembro 23, 2008

O desafí verdadêr da Tita

Bem, antes de mais, é agradecer à Tita, porque se na fosse ela, ainda hoje na havia post novo. Depois é agradecer o desafio e o facto de termos arrecebido um dicionário de Português, por parte dela. Dizer também que a oferta do dicionário de Português no é extremamente útil: depois de sabermos falar fluentemente o Algravio, o Inglês, o Holandês, o Alemão, o Brasileiro, o Francês de Alcochete, o Espanhol, o Portunhol e o Galego, fazia falta aprendermos mais uma língua estrangeira. Na verdade, temos tido no verão muitos turistas vindos de Portugal, mas falamos com eles em Algravio e eles costumam perceber, e a gente também. De qualquer das formas, o saber não ocupa lugar, a menos que o dicionário não seja de bolso.
Dizer também que o desafio consiste em passar o desafio a 9 bloguistas, blogueiros ou gás que possuam blogs que nós acompanhamos ou que nos acompanham, o que, para nós, é uma tarefa impossível: não temos mais de 5 acompanhantes, tirando a gente. Que se lixe: a gente, como bons algravios de puro sangue, desenrasca aqui uma coisa qualquer. Ora aqui vai:

Pá Tita: uma Gramática de Português de Portugal. Porquê? No seu último post violou regras gramaticais que nos parecem graves para alguém que tem como língua mãe o Português, nomeadamente o facto de não brindar nomes próprios com maiúsculas (ex.: "pacanherra"(l.1) -> Arranhí (com acento no i) Pacanherra), o facto de não acentuar uma palavra esdrúxula ("bloguistica"(l.5) -> bloguística (tal como linguística)) e, mais grave ainda, o facto escandaloso de, na mesma frase, trocar um verbo por uma preposição e pôr uma redundância ("...e que vos acompanham a vós à algum tempo..."(l.7) -> ...e que vos acompanham há algum tempo...). E também um dicionário de algravio, só mesmo porque já existe um.
Pá Joaninha: um par de peúgas (cor-de-rosa).
Pó Rafêre: um par de peúgas (já usadas).
Pó Costume Fáxavôr: um par de peúgas (da cor do costume).
Pó Parente da Refóias: um par de peúgas (compradas à do João Chula).
Pá Biépi: um par de peúgas (peúgas felizes).
Pó Sorrizes em Alta: um par de peúgas (com um smile a rir desenhado).
Pá Loja da tia dela: um par de peúgas (térmicas, pcása da circulação do sangue).
Pá Anita: um par de peúgas (com a cara do Panda).

Agora é quem quiser, fazer o mesmo. E feliz Natal.

Tomem lá aqui uns vídeos natalícios qué pa matarem sódades.



5 comentários:

a loja da minha tia disse...

Agradeço de boa vontade o parzinho de peúgas térmicas, e na páscoa gostaria de receber um daqueles bonés com uma ventoinha movida a energia solar. Para vocês, encomendei um pacote de lenços no LIDL, dá jeito agora no Inverno.
Feliz Natal.:D
:)

joaninha disse...

Já tenho 3 pares de meias cor-de-rosa. XD.
Não podiam ser umas meias do bugs bunny em azul??
Feliz natal para os 4.

MaD disse...

Mês belos amigues
Dés l'e pague o lindessíss'mo presente de sapatinho: umas peúgas.
Nã sê c'm' é que l'es vêo uma idéa tã bem caçada à cabeça. Nã é qualquer um que s' alembra dum presente tã jêtoso. Uma coisa méme da ponta da orelha...
E atão a mim que me calha méme ô queres… qu' umas de linha qu' a minha Maria me pôs no sapatinho faz três anos, fêtas por ela, já 'tão um coisinho puídas. D'zer a verdade, até que já t'veram de ser arremendadas nos calcanhares, más ela, tamém, sabe fazer esse serviço c’m’ pôcas, nã cudem...
Querendem, p'a vomecêas nã terem de vir cá a Monchique m' intregá-las, lá p' à tardinha, vô-me ali à do João Chula, eles dã-me isso à confiança - é qu' ê cá puxo de lá fiado... - e, em podendem, logo mandam o dinhêrinho. Se nã t'verem mái nenhum portador, intreguem méme ô chòfer da carrêra qu' o homem, na hora da folga, logo leva isso lá à loja.
Ê tamém gostava de l'es dar quasequer coisa de sapatinho, más agora nã me dá jêto ir aí p' às bandas de Vila Nova e portador nã tenho. De manêras que, o melhor sará terem pacência e, em ê cá estilando uns madronhecos que tenho pr' aqui, logo l'es dô um caláiço dela cada um. Calhando, aí p' ôs lados do intrudo, mái coisa, menes coisa...
Atão, só l'es desejo é um Natal do melhor e nã se desqueçam d' ir à Missa do Galo e bêjar o Menino…
Arrecebam muntas rec'mendaçõs cá do Parente da Refóias.

Rafeiro Perfumado disse...

Espero que ao menos as peúgas sejam daquelas branquinhas, com um par de raquetes bordadas...

Abraço, bom 2009!

Kok disse...

Mês amigues, vom'cêas (ainda) na me cunhecém mas ê tenhe vinde aqui à scápa más q'onde sinte algum r'môr abalo. Verdade verdadinha é q'éu tênhe apanhade aqui grandes barrigadas de rise com o que vom'cêas xcrevém e com os squétes atãn nem se fala. Sái daquí sempre de papinhe chêo! Fiquê même embasbacade com a peregrinaçan! Raça de coisa mai linda.
Ò contrario do môce cabelude ê nasci en Lagos más ali arrumade ós 5 anes (inda era um mxéque) levarem-me pra Lesbôa e pre cá tênhe medrade.
Más côme as minhas raízes san das Alfômbras/Alj'zur ainda tênhe um arreméde desse falar. En xcrever é que nen p'risse côme estan vende.
======//======//======//======
Desculpem lá esta minha maneira de apresentação, mas como justificação invoco o vosso blog e sobretudo o Refoias. Acrescento que sou um incondicional apreciador de sotaques que considero uma mais valia para as respectivas regiões.
Pronte, na digue mai nada!
Tenham uma boa festa de fim de ano, e não conduzam; Bebam!
Akele abraço, môces!

ps.: se ouvirem dizer que eu sou um parvalhão, não discutam porque:
1- eu não tenho discussão possível;
2- sou mesmo parvalhão!